terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Poema do destino

O destino e seu complicado esquema
De cruzar os caminhos em sua rama
Nos prende ora em laço, ora em algema,
Aos embaraçados fios de sua trama

Por ter a ironia como seu emblema
Do que seria alegria, ele faz drama
De soluções certas, se faz dilema
Do feliz, lágrimas tristes derrama

Mas tristeza não é seu único tema
Não é de desencontros que faz sua fama
E a chama que brilha em seu diadema

É gema de amor, e isso ele proclama
Uns dizem que é só coisa de cinema
Mas só lê seu poema quem de fato ama

v.: 0.2

--
v.: 0.1
11 Pois a gema que bilha em seu diadema (sic)
12 É de amor, e é isso que ele proclama

9 comentários:

  1. Always in hope of love...like me...


    Mto bom, meu garoto!

    ResponderExcluir
  2. "Uma coisa bela persuade por si mesma, sem necessidade de um orador" Shakespeare
    Dalva

    ResponderExcluir
  3. Todos sempre gentis :)
    Obrigado ♥

    ResponderExcluir
  4. Sua poesia é tão linda *.*

    O amor o maior dos sentimentos!

    Grande Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado, Gaby. Tenho ouvido sua doce melodia :)
    muito bom

    ResponderExcluir
  6. Oi Dande... puxa não sabia que tinha esse dom maravilhoso de conduzir as palavras...parabéns por cada post estão lindos... beijos Ci

    ResponderExcluir
  7. Ah, obrigado mesmo, Ci! ♥
    Saudade de você. Sempre meiga :)

    ResponderExcluir

Mundo Pittônico das Ideias